A atuação de consultores especializados em gestão e reestruturação é cada vez mais comum nas empresas. Com o passar dos anos, todas as organizações vem adquirindo “vícios” e acumulando falhas administrativas e de gestão.

A falta de planejamento, ou crescimento abrupto, são alguns dos fatores que exigem um novo pensar, ou ainda, uma nova postura dos empresários. O crescimento desordenado das empresas às vezes acabam trazendo mais problemas do que soluções. Isso porque, elas mudam por completo não só em sua dinâmica e funcionamento, mas também, nas suas necessidades, para continuarem crescendo.

Nessa fase, o empresário passa a ser cobrado por seu negócio de forma diversa, pois precisa desenvolver novas competências para que sua empresa continue a trilhar esse caminho. E é nessa hora que os consultores podem ajudá-lo a se desenvolver, pois seus conhecimentos, experiências e técnicas são compartilhados, auxiliando-o em seu processo de evolução.

Em geral, o empresário conhece bem o seu negócio, sabe onde estão os problemas, percebe quem deve ser demitido, que tipo de investimentos deveriam ser feitos, porém, os problemas do dia a dia, versus a carga de trabalho operacional, não só o afasta da visão estratégica, mas também o deixa esgotado, fazendo com que pense em desistir.

O trabalho de consultoria pode ter duração entre 18 e 24 meses, dependendo do projeto. Durante este prazo, consultores e empresários passarão a focar, identificar e eliminar questões que possam estar afetando o crescimento da empresa, atuando conjuntamente na criação de soluções, implantando e mensurando seus resultados.

Vejo alguns empresários buscarem sócios para dividir o fardo que costuma ficar pesado, porém, particularmente, não apoio esse tipo de decisão, salvo exceções, pois normalmente, as sociedades têm gerado ainda mais problemas.

Muitas vezes o papel do consultor pode suprir essa necessidade, deixando o empresário mais tranqüilo durante o período contratado. O consultor acaba atuando como “sócio”, ajudando o empresário no processo de mudança, juntos, eles colocam a empresa nos eixos, muitas vezes dividindo as dificuldades do dia a dia, bem como as alegrias das conquistas.

O consultor dá o apoio técnico e emocional aos seus clientes, e ao final do contrato, o empresário recebe uma empresa renovada, mais profissional e preparada para os desafios futuros. A vantagem de não ter sócios é que o empresário colhe os frutos dessas mudanças sem ter que dividir o bolo ou dar satisfações para ninguém.

Leave A Comment